SEMINARIO AUTOESTIMA 2015



Datas: 05/03 à 23/04 (quintas-feiras)
Horário: das 20h às 21h30
Vagas Limitadas
Inscrições pelo e-mail: espiritascursos@gmail.com

OBS.:
Devido às exigências do Corpo de Bombeiros e da Prefeitura Municipal, a USE Intermunicipal de Sorocaba foi obrigada a retirar um grande número de cadeiras de seu salão.
Por esse motivo, nos vemos obrigados a restringir o número de pessoas em nossos eventos, exigindo dessa forma a prévia inscrição através do email do cartaz.
Desde já contamos com a compreensão de todos.
Atte,

Wagner Tadeu Dias
Presidente Use Sorocaba 

-------------------------------------------

Cronograma:
1º. Dia: A Autoestima
A autoestima é um conjunto de atitudes intrapessoais que reflete em todas as áreas da vida cotidiana e também em todos os tipos de relacionamentos interpessoais. A importância para o espírita trabalhar a sua autoestima está baseada na doutrina de Cristo. Ninguém consegue dar ao próximo aquilo que não tem, assim sendo, só conseguirei respeitar o meu irmão da mesma maneira que me respeito. Jesus em sua sabedoria disse: “Amar ao próximo como a ti mesmo”, certamente que irei amar ao próximo da mesma maneira que me amo.

2º. Dia: A Autoimagem e o Autoconceito
Através do estudo da autoimagem e do autoconceito compreendemos a autopercepção. Se ela é disfuncional a pessoa terá comportamentos decorrentes do complexo de inferioridade ou do orgulho. Ao Espírita que deseja transformar seu orgulho em humildade precisa modificar a maneira que se imagina (autoimagem) e se compreende (autoconceito), pois quando achamos que somos mais do que realmente somos estamos emitindo pensamentos, sentimentos e comportamentos embasados nos padrões do orgulho. Somente como a reestruturação do autoconceito e da autoimagem é que conseguiremos transformar o orgulho em humildade.

3º. Dia: A Autoverbalização
É o dialogo consigo mesmo, que pode ser construtivo ou destrutivo. Podemos ter pensamentos, oriundos de nossa autoconversação, que motivem nosso desenvolvimento pessoal, social, moral, intelectual, profissional, etc.ou pensamentos que irão gerar a autossabotagem e a estagnação em nosso crescimento material e espiritual.

4º. Dia: O autoperdão
Só conseguiremos perdoar o outro na medida em que nos perdoamos, esta é a importância para o espírita aprender e praticar o autoperdão. Quando não nos perdoamos ficamos aprisionados em padrões de auto-obsessão e sofrendo verdadeiras torturas psicológicas, onde abrimos as portas para os mais variados processos obsessivos. Quando não conseguimos perdoar o próximo criamos enfermidades decorrentes do desequilíbrio energético da mágoa e da raiva.

5º. Dia: A autoaceitação
Autoaceitação acontece quando paramos de ficar revoltado com a vida, o corpo, condição social, com o outro entre outras coisas. Desenvolver essa habilidade é ficar em paz com as situações e condições de nossa vida ou da nossa reencarnação, utilizando-a como escola para minha autoeducação.
Toda vez que entramos em padrões de vítima ou autopiedade tiramos de nós a responsabilidade de nossa mudança interior e acreditamos que se o outro, o mundo e a vida fossem diferentes, nossa vida seria boa. Esquecemos totalmente da Lei de Causa e Efeito.

6º. Dia: O autorrespeito
Fomos criados por de Deus e Ele não faz “porcaria”. O autorrespeito é sensação que mereço ser feliz. Essa sensação irá gerar a força e motivação necessária para lutarmos pela nossa qualidade de vida. 
Parar de ficar culpando as pessoas e os espíritos pelos sofrimentos que temos e começar a correr atrás da qualidade de vida é consequência desta estrutura da autoestima.

7º. Dia: O autovalor
O autovalor é responsável pela sensação que sou capaz. 
Observamos no Movimento Espírita vários danos causados pela falta do autovalor nos participantes das Casas Espíritas. É comum observar pessoas que acreditam que a oração do outro é mais “forte” do que a dela ou quando são convidados para trabalho fraternal e não aceitam, pois se sentem “despreparados” para ele.

8º. Dia: A autoconfiança
Quando não confiamos em nossos julgamentos ficamos sujeitos a influência da opinião dos outros (encarnados e desencarnados), deixamos de pensar racionalmente e somos levados a ter a opinião que a maioria das pessoas tem.
A pessoa que não tem autoconfiança é incapaz de praticar a fé racional ou pensar com bom-senso, deixando que as outras pessoas a manipulem com facilidade.




Comments